domingo, 19 de junho de 2011

MUDANÇA DE CONSCIÊNCIA - CICLO


 

Sessão 13

“Elementos da Essência: Religioso”

“Mudança da Consciência”

“Círculo/Ciclo”

Domingo, 11 de Junho de 1995
Tradução: Amadeu Duarte
(Versão Resumida)



ELIAS: Passamos algum tempo divertido em conjunto e agora vamos centrar-nos num assunto mais sério. Já falamos de elementos da Essência e nesta discussão vamos prosseguir. Admitirei perguntas sobre assuntos relacionados com esta questão dos elementos da Essência. Prosseguirei com o nosso debate sobre o elemento final da vossa essência, o qual é o vosso elemento religioso. Estou ciente de vos ter feito esperar antecipadamente com relação a este assunto. Trata-se dum aspecto pertencente à vossa Essência que é bastante difícil de explicar devido a que o vosso entendimento neste foco seja tão limitado. (Para a Vicki) Tu chamar-me-ás à atenção quando estiver a falar demasiado depressa. Este assunto é importante para o vosso entendimento, todavia não vamos cobri-lo na sua inteireza nesta sessão de hoje pois contém demasiadas facetas para um único pronunciamento.

Esta questão do vosso elemento religioso envolve todas as coisas que pessoalmente vos abrange enquanto indivíduos. Trata-se duma faceta elementar bastante diversa do vosso elemento político, o qual assenta no relacionamento com outras essências. Esta envolve o vosso relacionamento convosco, com a natureza, e com o Todo Universal Criador. Isto não passa duma simplificação tremenda. Quando vos falo da vossa Essência individual, isso envolve algo monumentalmente mais vasto do que compreendeis. Vós achais-vos a focar-vos nesta dimensão física mas simultaneamente vós achais-vos focados em incontáveis outros focos. Na vossa condição de Essência, vós envolveis-vos em mais probabilidades e dimensões do que podereis possivelmente alguma vez compreender nesta existência física, neste planeta singular. Na verdade vós simultaneamente envolveis-vos com probabilidades neste mesmo planeta através de muitas outras formas e focos. Essas são também outras partes da vossa Essência. Constituem uma parte bastante pequena, falando em termos relativos. Vós envolveis também a vossa Essência em outros focos que nada têm que ver com esta expressão física, ou corpo, ou dimensão.

O vosso elemento religioso abrange igualmente a vossa criatividade pertinente à vossa expressão de toda a manifestação. Existe uma expressão deste elemento que se envolve com a criação do vosso sistema de crenças. Isso não se limita à definição que empregais para o termo religião. Tal como referi anteriormente, a definição que empregamos para a expressão religiosa difere bastante da que empregais actualmente.

Este elemento irá igualmente envolver a questão da fragmentação da vossa Essência. Envolve igualmente a vossa natureza verdadeira enquanto Essências de energia que se expressam através da forma física, porém, não verdadeiramente separadas da natureza nem do universo. Farei uma breve pausa momentânea no que toca a este aspecto para vos apresentar um pequeno exemplo. Vós pensais na vossa Essência como constituindo uma “Coisa”, uma “Entidade”. Como já tive ocasião de referir eu não sou nenhuma “Entidade”; tampouco o sois vós. Uma “Entidade” denuncia uma coisa separada e vós não sois uma coisa. Michael estava parcialmente correcto ao apoiar-se na minha definição ou explicação que lhe dei do copo e do oceano, mas achava-se parcialmente errado também.

O oceano que podereis conceber é igualmente, na vossa abordagem, uma coisa que podeis sustentar. Explicar-me-ei, ao invés, por meio da comparação de que a vossa Essência não constitui uma coisa do mesmo modo que a ideia que fazem do ar. Não conseguis deter o vosso ar; nem sequer podeis vê-lo. Podeis engarrafá-lo e arrolhá-lo, aprisionando-o desse modo e o ar no interior da garrafa apenas se achará rodeado, e não será distinto do ar no exterior. Se a desarrolhardes, esse ar será indistinguível daquele que rodeia a garrafa. Não podeis nem aprisionar as mesmas exactas moléculas que tínheis aprisionado originalmente pois não sereis nem mesmo capazes de identificar uma única molécula que possuíeis inicialmente pois ele terá saído e misturado com as demais moléculas gasosas.

Da mesma forma também a vossa Essência não se acha desligada do Todo. Ao mesmo tempo, a vossa Essência é bastante individualizada. Entendo que estes conceitos podem ser bastante difíceis para vós, por parecerem tão contraditórios e irracionais. Todavia, essa é a natureza da vossa Essência. Recomendo-vos exercícios a fim de ilustrar aspectos dos vossos diferentes focos, porém, eles também vos servem de ilustração do foco contínuo, mesmo através de sonhos simbólicos, os quais não são facilmente interpretáveis. Todavia existem imagens.

A tudo aquilo que sonhais emprestais uma interpretação de algum género, relacionada com o foco físico. Pode não ser sempre este foco em particular mas o vosso cérebro interpretá-lo-á em termos físicos. Isso não é propriamente “mau”. Nesta parte da vossa Essência encontrais-vos focados no aspecto material. Tínheis que interpretar as coisas desta parte da vossa Essência em termos físicos pois confundir-vos-íeis tremendamente se falásseis para vós próprios nos vossos sonhos por meio doutra linguagem. Se o fizésseis noutra linguagem dimensional, deveríeis definitivamente confundir-vos, e deixaríeis de prestar atenção, pois deixaria de fazer sentido para vós. Esses são sonhos que se procura interpretar por meio desta dimensão material que podem não ser oriundos dela. Trata-se unicamente de experiências de outras partes da vossa Essência.

No vosso elemento religioso, vós também adoptais a vossa identificação relativa às vossas origens tanto neste foco como em qualquer outro que possua origens. Isso não quer dizer que tenhais tido uma origem. Presta-se unicamente ao esclarecimento de que sois originários de alguma manifestação física, em termos que vos sejam familiares. Falámos anteriormente, ainda que brevemente, da vossa origem física e da manifestação deste planeta. Antes dessa expressão criativa, vós achaste-vos envolvidos nas expressões criativas de outros mundos. È aqui que vos deparareis com alguma confusão, devido a que vos percebais como uma “Entidade”. Vós podeis constituir fragmentos de outras essências porém, possuís todas as qualidades e experiência. Não quer isso dizer que originalmente não vos achásseis lá, para o referir nos vossos termos, na criação deste planeta ou de outros antes dele devido a que vos tenhais fragmentado. Vós acháveis-vos lá em experiência. Fostes igualmente criados recentemente. Vós criastes muitos universos, do jeito que os percebeis, e desde então fostes criados como que pela primeira vez. (pausa) Já vos achais suficientemente confusos? (Riso geral)



Existe uma simultaneidade no que toca à vossa Essência. Se não pensardes em termos de coisas e desconhecerdes o tempo, nesse caso podereis entender de que modo será possível ser uma Essência criativa e uma Essência fragmentada ao mesmo tempo, porquanto possuís todas as coisas e sois todas as coisas, sempre. O ar que vos rodeia não experimenta qualquer tempo nem tampouco ocupa espaço. Tampouco vós, a menos que o escolheis fazer, em determinados focos. Já fostes muitas coisas. Encontrais-vos em simultâneo no vosso futuro presentemente. A vossa Essência é imensamente criativa. Constitui a expressão mais maravilhosa, criativa e bela possível do Todo Criativo Universal, o qual não é, igualmente, coisa nenhuma. Não é “Entidade” nenhuma e nem é distinto de vós. Sois vós, e vós sois Ela, e para além dela! (Pausa) Somos capazes de sentir a imensa confusão da parte da Lawrence! (Riso) estou a achar isto bastante divertido! (pausa)

Este assunto deverá tomar-nos muito tempo, conforme já expliquei. Vamos segmentá-lo ao dirigir-nos a partes específicas em separado. Existem partes que se prendem com a vossa criatividade na criação de mundos. Há partes que se prendem com a vossa criatividade na criação de civilizações. Existem expressões bastante criativas, concebidas de forma bastante artística no vosso foco, relacionadas com a religião, formas de governo e expressões individuais. Vós sois extremamente criativos e possuís a habilidade de criar tudo o que sois capazes de pensar. Não tendes noção do tremendo poder e maravilha que possuís. É-vos difícil identificar-vos com alguns desses elementos desta questão devido a que vos acheis tão focados no tempo e no espaço. Tal como já referi, é por tal razão que vos sugiro tais exercícios. Isso ajuda-vos a desligar-vos de tal constrangimento relativo a este foco como sendo o único.

Alguns de vós escolheram “missões” para o vosso foco físico. Sentis ter que satisfazer determinada coisa de forma intencional, para além de experimentardes unicamente. Não é necessário, mas a vossa Essência... desculpem-me... (aqui a fita termina e é trocada) Não é necessário... será que estou a ficar como um gravador que se repete todo o tempo? (Riso) porém podeis escolher, ao nível da vossa Essência, experimentar o vosso foco físico e conferir-lhe uma expressão de constituir “uma missão”. Isso pode ser no que toca a salvar o vosso mundo ou salvar outras essências em apuros. (Riso) Percebeis isso como actos nobres. Mas, como já disse, não é necessário. Não existe qualquer outra essência viva que necessite do vosso socorro e não tenha escolhido o seu percurso, a sua experiência. Ela salvar-se-á, se necessário for. Contudo, todas as essências condescendem com as outras e permitem tal expressão inerente a esse jogo. È pela experiência, mas como já referi, se possuirdes a noção de estardes somente a representar não podereis colher uma verdadeira experiência. Desse modo o vosso foco físico desliga-se da vossa Essência a fim de poder experimentar, em toda a sua extensão, qualquer jogo que eleja representar, em qualquer tempo que seja.

É também por isso, tal como já referi antes, que não existe bom nem mau mas apenas o que escolheis experimentar. Nesse experimentar, haveis de vos aliar, de tempos a tempos, com indivíduos de espírito idêntico, coisa que fazeis a fim de vos reforçardes. Outras vezes, nos vossos termos, envolver-vos-eis com essências focadas bastante pelo contrário do que sois. Isso confere-vos uma experiência de conflito mas, de modo contrário ao que acreditais, há alturas em que desejais experimentar conflito e o elegeis, apesar de nesta altura deste vosso foco de desenvolvimento seja importante compreenderdes a forma de vos voltardes a ligar à vossa Essência deixar a separação por não mais ser necessário. Estais a mover-vos rumo a uma nova era, tal como já expliquei.

Se escolherdes não mudar ides experimentar muita dificuldade. A minha assistência a fim de não experimentardes tal dificuldade. Esta era já tinha sido acordada, e já se encontra presentemente a ser implementada, nos vossos termos. Até mesmo neste momento estais presentemente a criar, em conjunto com o planeta inteiro, uma mudança na abordagem. Portanto ela vai realizar-se e o processo não se reverterá. Nesta mudança ainda vos vereis capazes de experimentar conforme o fazeis agora, porém incorporareis muitos outros aspectos dimensionais da vossa Essência. Havereis de experimentar, não somente de forma mais plena e mais rica como também tereis a capacidade para muito mais... diversão, neste foco! O presente foco é... demasiado sério! (Dito de forma bastante dramática e humorada, a que se seguiu muito riso) Não é necessário. (Pausa)



Deverá ser muito mais rica (experiência) do que presentemente experimentais. Se permitem que vos estenda um exemplo bastante simples e limitado, será como um “sonho acordado”.



Uma vez ocorra essa mudança, e ela seja experimentada de forma global pela vossa espécie a violência não mais será necessária. Na medida em que cada um de vós comportar um reconhecimento da própria Essência, se vos focardes nela e não em separado, obtereis o conhecimento de que a vossa Essência não possui nada de danoso nem de negativo. Isso não passa dum enfoque puramente material. Portanto, ao adoptardes a vossa Essência e o seu enfoque renovado no plano material deixará de se fazer necessária qualquer expressão negativa. Isso deverá levar bastante tempo a realizar-se no vosso planeta, nos vossos termos. Mas virá a realizar-se.

Havereis de observar, mesmo actualmente no vosso planeta, que do mesmo modo que sois capazes de focar que vos parecem bastante negativas, também sois capazes de reconhecer muitos movimentos positivos. Enquanto espécie, encontrais-vos presentemente mais conscientes do que alguma vez fostes ao longo da vossa história, da vossa relação com a natureza e com o universo, assim como com cada um. Mesmo no terreno político estais a tornar-vos conscientes dos aspectos desnecessários do conflito, da violência e das guerras. Elas ainda existem, porém, encontrais-vos muito mais conscientes duma coexistência pacífica do que alguma outra vez na vossa história. Tudo isso faz parte desta mudança com que já concordastes, e a qual começastes a implementar.

A criação da mudança da consciência religiosa do enfoque das vossas crenças Cristãs, não foi concretizada num dia mas ainda assim foi realizada de forma extremamente imaginativa e artística e durou uma era. Nem esse enfoque nem essa era servem mais a vossa imaginação pelo que elegestes avançar além dela e vos considerardes a vós próprios, em vez de unicamente às vossas ideias.



Havereis a assistir a partes (da referida mudança de consciência, durante o vosso tempo de vida) Esta é uma mudança que está a ser implementada de forma muito rápida, para o referir nos vossos termos, e este novo século de que vos aproximais será duma tremenda criatividade nessa mudança. O seu começo deverá ser bastante dramático. Dependendo do quanto desejeis continuar, em anos humanos, neste enfoque de desenvolvimento, podeis assistir a tremendas mudanças. Mas deverá realizar-se muito mais neste próximo século, o qual tereis, pelo menos, metade para experimentar! (A sorrir após o que sussurra algo indicando Vicki) Ele não entende! (Abana a cabeça a que se segue muito riso da parte do grupo)



Aquilo que estou a tentar explicar, nos vossos termos bastante limitados, é uma incorporação da Essência no enfoque material. È muito difícil de vos explicar. Continuareis a experimentar a passagem de momentos sucessivos no vosso enfoque material, contudo havereis de vos ligar, num estado muito mais consciente, à vossa Essência. Nesse sentido a vossa consciência sofrerá uma mudança e ao fazê-lo deixará de existir o “subconsciente” ou qualquer outra forma de consciência e tudo passará a ser consciente; tudo permanecerá num estado de consciência e essa consciência deverá ser de tal modo abrangente que se torna sobremodo difícil de comparar com as vossas actuais experiências.

Presentemente tendes consciência de indivíduos que designais como “psíquicos”. Esses indivíduos já efectuaram uma mudança parcial e podem já experimentar um outro enfoque tanto na consciência como na realidade, contudo com uma percepção bastante limitada. Pois será de longe para lá dessa percepção. Deverá tratar-se dum CONHECIMENTO de vós próprios bem como de todos ao vosso redor e sem ser ao vosso redor, todas as demais essências que habitam o vosso planeta. Não estareis num enfoque como eu me encontro por que ainda estareis fisicamente focados. Existe uma diferença todavia tereis um entendimento muito maior e uma maior consciência e tereis muito mais capacidade de realizar e de criar.

Vós também havereis de poder contactar muito mais às vossas essências recentemente “falecidas”. Tereis a capacidade e o contacto para poder falar com eles, do mesmo modo que conversais entre vós. A linha divisória dimensional será muito fina, contrariamente ao “muro de pedra” actual. Vós não entendeis que actualmente possuís a capacidade de penetrar outras dimensões mas nesta nova mudança de consciência deixareis de encontrar problemas ao atravessar outros focos dimensionais. Deixará de ser ocorrência acidental conforme actualmente pois desenvolvereis a capacidade para o fazer de forma intencional, à vontade.

PERGUNTA: Eu tenho que te perguntar uma coisa. Peço desculpa se ela me envolve pessoalmente mas é que eu queria…

ELIAS: Não tens que te desculpar por isso!

PERGUNTA: É estranho como, esta noite descreves coisas que eu pretendia perguntar. Eu experimento determinadas coisas e penso que gostaria que validasses se estou no caminho certo. Está a tornar-se natural mas eu quero ser capaz de o conseguir de forma intencional. Por vezes ouço um ruído em surdina. Será isso um nível vibratório diferente que eu escuto?

ELIAS: Exacto. Trata-se duma experiência que já explicamos a breves traços de que os vossos animais estão conscientes. Acreditais que eles possuem um sentido de audição mais apurado do que vós próprios mas isso é inexacto. Eles não possuem uma audição mais apurada mas apenas não possuem racionalização com relação ao que ouvem. Ao vos estabelecerdes na vossa mudança de consciência, podereis experimentar ouvir e mesmo ver outras essências. Vós todos ficaríeis bastante surpreendidos se soubessem que o espaço que ocupais neste momento também é ocupado por um tremendo número de outras essências! Isso constitui exactamente uma expressão de mudança que deveríeis reconhecer e praticar. Não invalideis essas experiências pois elas são uma realidade. (Pausa)



Vamos continuar… De inicio vamos abordar os mal-entendidos de que pareceis estar cheios! (Elias ri para dentro) Eu tinha noção de que não entenderíeis a informação referente a este assunto, com excepção da compreensão parcial da Catherine. (Pausa) Parcial!

...

Em primeiro lugar, vou explicar. Esta mudança que se aproxima abrangerá a totalidade das essências manifestas no nível material. Já o referi anteriormente. Mas é óbvio que isso não foi entendido. Todas as essências que se acham em enfoques religiosos ou hábitos em todas as culturas desta dimensão e neste enfoque material experimentarão essa mudança. Deverá ser o que designareis como uma ocorrência à escala global. A interacção que estais a ter comigo destina-se a minimizar mal-entendidos e traumas envolvidas que essa mudança envolve. Tal como o referi, a razão porque aqueles de vós presentes experimentais menor trauma nesta mudança de consciência deve-se a que inquirais. Eu apenas escolhi responder.

Há alguns dos presentes que já elegeram este seu foco de desenvolvimento a sua manifestação final. Há outros que escolheram continuar neste foco de manifestação. Trata-se duma escolha individual. Cada um de vós, na vossa própria Essência e na vossa própria expressão mental vireis a conhecer ou então já conhece que escolha será a vossa. Muitos de vós presentes nesta audiência já escolheram não voltar a manifestar-se nesta expressão material. Desse modo experimentareis o início dessa mudança global da consciência nesta manifestação final. Outros escolheram continuar neste enfoque material, se bem que não por necessidade; apenas por terem escolhido continuar a experimentar em termos materiais. Vós escolheis igualmente experimentar a combinação de experiência material com o conhecimento da Essência.


Há alguns que não estão certos. Tomaram a decisão de não voltarem a se manifestar nesse foco material mas actualmente estão a reconsiderar a escolha de voltarem a manifestar-se uma vez mais, simplesmente devido a esta experiência da nova consciência física. Qualquer que seja o foco para que vos voltareis, nos termos do vosso futuro, será escolha vossa.


Existem alguns enfoques experimentais, não físicos, que poderão não ser alcançados imediatamente após voltar a focar de outro modo, assim como eu não estava capaz, nos vossos termos, de alcançar instantaneamente os grandes mestres conforme os designo, porém, nos vossos termos, eu serei considerado um grande mestre. Existem outros focos que designaremos, de modo a que entendam, como situando-se “para além” do meu. Esta é uma explicação bastante estreita devido a que, essencialmente não exista qualquer “além”. Mas do mesmo modo que vós, no vosso enfoque físico possuís uma compreensão limitada de outros enfoques, o meu entendimento dos enfoques mais abrangentes que se situam para além do meu também é limitado. Do mesmo modo, aqueles sobre quem poderia referir como grande mestres, para mim possuem mestres “para além” deles. E isso prossegue sem fim.

Isso não se trata realmente da existência de níveis de desenvolvimento. Na verdade trata-se somente duma consciência acrescida da nossa própria Essência. Não é que alcanceis um plano e em seguida vos direccioneis para outro. Não “ides” a lado nenhum! Já sois! Não atingis a perfeição porquanto já a atingistes. Já a atingistes. È apenas uma questão de vos tornardes... sublinhem duas vezes! Mais conscientes do que já sois. Nesse sentido, tal como já referi, não existem níveis. A realidade não possui estados. Existem apenas diferentes enfoques e consciência, e no vosso tornar-vos, o qual é eterno, vós expandis-vos e passais a adoptar mais da vossa Essência. Isso representará aquilo que pensais ser planos ou níveis, devido a que penseis em termos de coisas. Mas vós não subis degraus nenhuns a fim de “chegar ao topo”! Estais unicamente a expandir a vossa consciência com relação ao que já sois. Isto, eu entendo, soa-vos difícil de entender, mas vós... “chegais lá!” (Aqui Elias mostra-se visivelmente divertido, sorri e ri para dentro)

Com respeito às culturas ou expressões negativas neste foco físico, tal como referi nesta sessão, quando esta mudança do planeta estiver cumprida, essas expressões serão eliminadas, por não mais serem necessárias. Elas não passam de expressões de experiências oriundas de mal-entendidos. Uma vez que possais compreender e vos vejais unidos à vossa Essência, deixará de ser necessário criar conflito em vós próprios ou com outras essências.

...

Desse mesmo modo, com a eclosão desta mudança global... ocupar-vos-eis com coisas muito mais significativas do que com querelas ou com a ocupação do vosso tempo com superstições. Não será necessário. Contudo ainda tendes bastante que experimentar neste foco, de forma bastante sublime. As vossas expressões imaginativas expressas nos filmes de fantasia e de ficção científica são mais reais do que podeis acreditar. A tal respeito vós tendes muito mais a experimentar neste foco físico. As experiências que vireis a encontrar no vosso futuro, nos vossos termos, não têm paralelo com a vossa presente pequenez e expressão de negatividade.

Contudo também me referirei a uma questão de essências individuais possuidoras do sentimento de se encontrarem aqui com um objectivo, termo este que tem outro significado que aquele que já expressamos, da experiência, o qual na realidade consiste no vosso propósito. Não obstante alguma essências acreditarem possuir um objectivo a experimentar, enquanto se acham aqui isso é aceitável mas desnecessário. Por vezes auxilia outras essências na sua experiência, o que nos vossos termos, constitui uma coisa positiva. Faremos breve menção ao exemplo de algumas essências que acreditam terem-se manifestado aqui de socorrer essências recém-falecidas. Elas acreditam, e por vezes correctamente, que essas essências que transpuseram o limiar da morte se acham “presas”. Por vezes essas essências que passaram o limiar da morte acham-se “presas” de forma bastante temporária nas suas crenças. Isso não significa que elas eventualmente, nos vossos termos, não voltem a focar-se e não prossigam, porque o farão. Todavia, poderia considerar-se que o auxílio a essas essências “presas”, nesse vosso foco físico, constitui um esforço nobre e auxiliá-las-á a retomar um enfoque mais depressa. Portanto, não se trata de desperdício de nenhum de energia.

Aquilo que precisam entender é que não estão aqui numa “missão”. Estais aqui unicamente a fim de experimentarem, a fim de enriquecerem a vossa essência e alargar o seu enfoque. A vossa essência experimenta uma miríade de focos dimensionais em simultâneo, devido a que o deseje, e não alberga qualquer “missão”. Apenas deseja experimentar. Contudo constitui verdadeiro auxílio que algumas essências assistam a outras, do mesmo modo como eu vos assisto, pela razão de eu o querer e vós pedistes. Portanto, com respeito a isso, alguns de vós podem escolher assistir a algumas outras essências e, para o enquadrar correctamente nesta mudança global, devido a que tenhais querido faze-lo. Nenhuma energia estendida num acto de assistência será recusada. No vosso estado de essência, em oposição ao vosso estado material, vós sois muito mais receptivos e delicados – nos vossos termos – do que o sois nesta condição. Todas as expressões de energia são reconhecidas e nenhuma deixa de ser validada. Todas são reconhecidas e aceites. Vós avançastes tremendamente em frente na vossa mudança por meio da aceitação da minha assistência num enfoque físico.


Não posso referir-vos devidamente o quanto sois maravilhosas criaturas divinas nem dar-vos conta da vossa expressão tremendamente criativa e da vossa capacidade de criar tal beleza. Faríeis bem se vos centrásseis mais nesta área porque possuís uma tremenda capacidade de expressão. Já vos referi o conceito de constituirdes energia e também referi que a energia não pode ser separada. Do mesmo modo que não podeis fender o vosso ar também não podeis separar a energia. Por isso vós estais interligados. No estado de essência, como o designaríeis, vós tendes suficiente consciência disso. È devido a isso que deixe de ser necessária qualquer expressão negativa uma vez o vosso círculo é completo. E esta mudança de consciência consiste na conclusão do vosso círculo. Esse círculo teve início a partir duma expressão criativa de experiência no foco material. Vós criastes este mundo, este planeta, este sistema solar, este universo. E ao faze-lo originalmente neste foco, vós encontráveis-vos neste estado, do qual estais a aproximar-vos de novo, mas que presentemente também já experimentais.



Sugiro que se divirtam. A vossa essência não é assim tão séria! Na verdade é bastante divertida! A sua natureza é criativa, expressiva. Nesse sentido vós experimentais muita alegria a divertimento!



PERGUNTA: Poderias, por favor, explicar de novo a diferença entre o nosso ciclo e o nosso círculo?

ELIAS: O vosso círculo é aquilo que estamos a falar nesta sessão. Consiste no retorno ao enfoque material com a adopção uma nova consciência. Isso não se limita a vós aqui presentes nesta audiência. A vossa espécie toda neste planeta haverá de experimentar este círculo. A única diferença consiste em que eu me encontro aqui convosco para auxiliar neste ajustamento. Existem outros neste foco de ensinamento que escolheram auxiliar junto de outras essências que o solicitaram, noutras áreas do vosso planeta. Vós não sois os únicos, porém, constituís uns poucos que foram seleccionados.

O vosso ciclo, a que nos referimos previamente, consiste nesse todo abrangente composto por focos de desenvolvimento existentes nesta dimensão, todas as vossas expressões de manifestação física. É com respeito a isso que anteriormente referi, em termos familiares para vós, que podeis manifestar-vos tão poucas vezes como três ou tantas como centenas. Isso procede da vossa escolha. Quando escolheis manifestar-vos fisicamente nesta dimensão, concordais em manifestar-vos materialmente e experimentar pelo menos três focos de desenvolvimento. Isso dar-vos-á a oportunidade de experimentardes sexualmente em diferentes expressões. Haveis de, se escolherdes três manifestações apenas, experimentar uma como macho, outra fêmea e (sussurrado) uma outra. (Riso)



Podeis também escolher múltiplos focos de desenvolvimento. Podeis gostar duma multiplicidade de experiências nesses focos de desenvolvimento e escolher repeti-las. Podeis escolher repetir focos possuidores duma certa orientação sexual. Podeis eleger uma orientação como predominante, assim como podeis não o fazer. Mas contrariamente à vossa questão da suicídio, numa sessão anterior, isso não constitui uma necessidade antes de escolherdes não voltar a vos manifestardes. Podeis não experimentar esse suicídio. Quando elegeis esta opção de vos manifestardes fisicamente nesta dimensão vós seguis algumas regras, nos vossos termos, e uma delas consiste em experimentardes pelo menos três formas de orientação sexual de manifestação da experiência. Isso consiste numa escolha que todas as essências estabeleceram.

Como tal poderia ser considerado como uma regra, não obstante poderdes escolher terminar qualquer uma dessas manifestações em tenra idade, nos vossos termos. Podeis não desejar experimentar muitos anos nesse foco. Isso também deverá proceder da vossa escolha. Muitas essências escolhem experimentar o foco físico mais do que três vezes. Geralmente é quando chegais ao término do vosso ciclo que vos tornais descontentes com a experiência. Na verdade, do mesmo modo que uma criança se aborrece com o jogo, depois de um certo tempo, vós na vossa essência manifesta neste foco físico aborreceis-vos com este jogo, e elegeis jogar outro...



PERGUNTA: Tenho uma pergunta com respeito ao número de manifestações físicas. Como é que isso se enquadra com outras origens planetárias?

ELIAS: Isso não tem nada que ver com este foco de manifestação física. Isso só se processa em relação a este foco físico planetário, o qual constitui um enfoque individual para si mesmo. A vossa experiência com outros enfoques planetários ocorrem noutros enfoques dimensionais que não terão ligação nenhuma com este enfoque dimensional. Eles também ocorrem em simultâneo com este actual.

PERGUNTA: Penso não gostar lá muito deste.

ELIAS: Isso deve-se a que te encontres à beira da conclusão do teu ciclo...

PERGUNTA: (Interrompendo) Com isso estou em acordo!

ELIAS: …e te encontres aborrecida com este foco. Partilhas essa experiência de sentimento junto com muitos outros nesta companhia.

...

PERGUNTA: Será esta mudança de consciência que experimentamos actualmente similar à mudança que terá ocorrido no tempo da Atlântida e da Lemuria?

ELIAS: Não. Esta mudança nunca foi realmente experimentada neste vosso planeta. Esta será a primeira vez... perdoem-me... para além da vossa criação inicial deste foco, mas daí para cá, a vossa espécie presente nesta dimensão não experimentou tal tipo de mudança. Tem vindo a preparar-se para esta mudança de consciência. Todos vós tendes vindo a praticar a vossa criatividade imaginativa há milhares de anos e criastes tremendos sistemas de crenças a fim de experimentardes a vossa capacidade criativa. Agora escolhestes expandir a vossa concentração. Experimentastes tudo o que era possível a esse foco físico no vosso presente estado e não é mais necessário repetirem. Por isso escolhem um novo tipo de experiência, que consiste em incluírem a vossa Essência e a vossa consciência junto com o vosso foco físico. Até mesmo uma criança se aborrece por jogar o mesmo jogo demasiadas vezes. Vós tendes vindo a jogar este jogo há milhares e milhares de anos na vossa forma de medir o tempo. Presentemente achais-vos aborrecidos, na globalidade e é tempo de vos expressardes dum modo renovado. Só sabeis experimentar as mesmas coisas um sem número de vezes! Mas já não é preciso.

...

PERGUNTA: Então quer dizer que esta mudança global que se encontra em curso, é a isto que as pessoas se referem em termos de Armagedão, o fim do mundo, a segunda vinda de Cristo, etc., etc.? (Riso geral)

ELIAS: Alguns et ceteras! (A sorrir) Não a classificaria como o Armagedão, não obstante os vossos Cristãos acreditarem ser o caso. Na realidade não existe nenhum Armagedão. O que existe… é difícil de explicar. Na expressão que dais à vossa religiosidade, através da imaginação e das histórias, as vossas crenças Cristãs referem um porvir em que as almas, por assim dizer, se reuniriam na forma física. A história prossegue referindo que sereis elevados ao céu nessa forma física. O conceito não passa dum rude esboço preliminar conducente à expressão do quadro final. O conceito de irem para o céu está incorrecto, porém, a expressão de incluírem a forma física, bem como a Essência ou alma, está mais próximo da verdade. A esse respeito eles estão quase correctos na interpretação que fazem. Tal como referi, o esboço inicial dum quadro pode sofrer muitas alterações antes do produto final desse quadro completo se achar completado. Com isto quero dizer que o vosso “quadro” se acha nos estágios finais e não se parece nada com o esboço original.

Esta mudança foi antecipada pelas vossas Essências desde o que designais como o início deste foco físico e fazia parte do plano. As religiões orientais também estão parcialmente correctas na expressão que adoptam de se tornarem uma coisa só, universal. Aquilo em que se desviam é deixarem de incorporar a individualidade em simultâneo.

...

PERGUNTA: Queres dizer que devido a que a nossa Essência e nós nos encontremos aborrecidos, estamos como que a destruir este mundo a fim de começarmos de novo, e retomarmos as nossas energias para prosseguirmos para o universo, por assim dizer?

ELIAS: Não. Isso é uma interpretação incorrecta. Não estais a destruir nada mas apenas a incluir mais; estais a expandir-vos na vossa experiência e a criar mais.

PERGUNTA: Corrigiste-me, obrigado. Era isso que eu queria dizer.

ELIAS: Não há qualquer destruição envolvida mas apenas uma maior expressão de criatividade.

PERGUNTA: Elias, dizes-me algo que possa... ou algum concelho que eu seja capaz de transmitir a alguém que me é bastante chegado e que é um Cristão renascido e possui um temor profundo com relação ao que se está a passar além de ter a certeza de que lá pelo ano dois mil não existirá nada nem ninguém?

ELIAS: Não nos interpreteis erradamente. Não estamos a julgar nenhuma crença ou abordagem. Todas se prestam a um propósito individual. Cada Essência se associa a alguma crença neste foco físico e se apoia a essa crença com estreiteza. Tal como referi, algumas são apenas mais óbvias do que outras, no sentido de serem mais evidentes aos olhos dos demais. Isso não as torna incorrectas ou erradas porque toda a crença comporta uma realidade. Isto não é conceito, isto é uma verdade, e invalidar tais sistemas de crença é incorrecto.

Estes indivíduos que acreditam no Armagedão e no arrebatamento final deverão ficar surpreendidos quando tal não acontecer – e não acontecerá mesmo! Também são capazes de experimentar algum alívio! (Riso) Eles deviam centrar a sua atenção muito mais no seu poder criativo e na sua capacidade criativa para manipular as condições vigentes no vosso planeta, do que nos chamados eventos celestes que não se materializarão, porque essas são condições presentes nos seus focos físicos que eles ajudam a criar e a manifestar por meio da sua própria energia. Aconselhava-os mais a não darem lugar a terramotos do que a aguardarem pelo arrebatamento! ( Faz um pausa, a sorrir)

Compreendo a vossa preocupação com aqueles que se concentram em crenças religiosas. Isso assemelha-se, se comparardes, àquele que se encontra na facha etária dos cinquenta mas permanece na idade mental de cinco anos. Isso causa-vos conflito e preocupação, aos que prosseguem com o seu desenvolvimento sucessivo normal, todavia, deveis compreender tratar-se duma escolha eleita por eles. Eles escolheram experimentar isso. Vós também já escolhestes essa experiência anteriormente, e elegestes prosseguir. Também eles alcançarão um certo nível de compreensão e escolherão prosseguir. Só ainda não se acham nesse estado. Na associação que estabelecerdes com a vossa própria Essência passareis a aceitar e a experimentar uma tremenda tolerância para com o nível de desenvolvimento e da experiência de cada essência, com o conhecimento de que eles hão-de experimentar o vosso desenvolvimento no devido tempo.
...

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.

O MATERIAL ELIAS